Léa

ensino , aprendo e faço arte ...

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A greve dos Correios

Um dia desses , olhei minha caixa do correio
(correio real, não virtual),
vazia...
E pensei então nas cartas que chegariam ,
os envelopes...toda a correspondência amontoada nos postos ...
.E aí me deu uma vontade de fazer poesia....
(Moça lendo carta - Almeida Junior)


A Greve

Elas chegarão um dia...
as cartas de amor, as palavras e seus perfumes...
Elas, e as outras....as cartas dos filhos ,
 as  cartas das mães...
(O terapeuta - Rene Magritte)

Em que bolso elas chegaram até ao correio?
Que mãos as levaram e selaram?
Que olhos as viram abertas,pela última vez?
Lá estão elas, entre multas e faturas, entre números, cifras e datas...
sem afinidades, caladas....
(escuta...são os risos dos avisos de prêmios....
trancados em outros envelopes...)
(A ponte de Heráclito - rene Magritte)

Um dia elas chegarão, não sei se a tempo de você  abrir...
antes do trem que está chegando,
antes do ônibus., antes da hora...
E você terá que decidir,
ainda na plataforma,
procurando os ponteiros,
olhando para trás...
(Modelo vermelho - Rene Magritte)

Há também os pacotes, seus olhos arregalados,
os barbantes sizudos,
os nós que não perdoam...
Eles estão lá, promíscuos,
por cima delas, entre elas...
pobres cartas carregadas de palavras escritas a mão...
cheias de erros,
humanas....
(Joquei perdido - Rene Magritte)

Quem aqui sabe o que significa remetente?
Quem se lembra da última carta que recebeu?
Você escreveu uma carta a alguém?


14 comentários:

Francisco disse...

gostei do seu poema

F. disse...

Estou lendo de novo para apreciar melhor

Anônimo disse...

.......

terradosaromas.com disse...

Oi ....
A maneira como vou desenvolvendo o seu poema, gente pode sentir as emoções, a ansiedade que é: receber uma carta, algo enviado especialmente por vc. A greve dos correios num momento onde você aguarda ansiosamente por uma carta é o momento mais apreensivo que existe. Sei disso por amo receber cartas e gosto de enviar mensagem. Hoje escrevo mais no computador, mas nas datas comemorativas, costumo enviar um cartão de aniversário, Feliz Natal e coisas assim. É tão gostoso... e você conseguei expressar isso, amei, parabéns... e vê se escrever mais ;) bju

olhoscoloridos disse...

Sol, vc tem razão...mesmo com toda a tecnologia que temos hoje, uma carta é sempre pessoal...intima...única!

Anônimo disse...

não consigo postar no seu blog

Anônimo disse...

uma greve virou poesia

Verônica S. de Souza Saiki (Very) disse...

Gostei! :D

Isa disse...

Tento, tento e não consigo postar no seu blog.
Só queria dizer que essa sua poesia me deu vontade de receber cartas.

Rosa Sil disse...

amei a poesia, achei linda, me fez pensar em tantas doses de amor, carinho e alegria essas correspôndencias trazem para a gente.

Leda disse...

Então, irmã, eu já havia lido sua poesia - que se parece um pouco, ou me lembrou, em alguns trechos, as coisas de Cecília Meireles, Adélia Prado, talvez... parecem mais crônicas que poesia (na forma e no ritmo)
Me lembrei, também, dos vários poemas que escrevi e que luto para descobrir onde os guardei - porque eu os guardei bem, fizeram parte de momentos importantes da minha vida . E também existem alguns que escrevi para a mamãe, quando ela se foi...

olhoscoloridos disse...

Isa, vc viu que eu mudei a forma de postar?Nem eu conseguia deixar respostas, mas com esse novo jeito,parece que voltou ao normal.
Achei lindo vc sentir isso...justamente ao ler minha poesia!!!!!

olhoscoloridos disse...

Rosa Sil, vc já escreve a muito tempo, em vc isso flui...então acho que vc entende como eu me senti ao conseguir fazer um pequenino poema...

olhoscoloridos disse...

Lê,que bem me faz saber que esse poema te fez lembrar dos seus...Tomara que vc ache...eu queria ler...